sábado, 20 de agosto de 2011

A Maternidade e o Encontro com a própria Sombra

Alguns livros são mais que livros, eles nos acompanham, aparecem na hora certa e se tornam nossos amigos. Assim foi para mim o livro A maternidade e o encontro com a própria sombra, de Laura Gutman (já publiquei um texto dela aqui). Estava vivendo a quarentena, uma fase ao mesmo tempo linda e difícil, de reconhecimento, descoberta, adaptação... Sentia-me um pouco solitária, um pouco louca, um pouco criança indefesa. Sentia muito, muito amor por meu bebê e só queria saber dele perto, bem perto de mim, sem dar muita atenção a mais nada.
O livro de Laura ajudou-me a entender o que acontecia comigo. Ela diz que é preciso "atravessar o puerpério em um estado de consciência de outra ordem. É preciso que as mães enlouqueçam um pouco, e para isso elas precisam do apoio daqueles que as amam, que lhes permitam abandonar sem risco o mundo racional, as decisões lógicas, as idéias, a atividade, os horários, as obrigações. É indispensável submergir nas águas do oceano do recém-nascido, aceitar as sensações oníricas e abandonar o mundo material”.
Com um texto lindo e sensível, Laura nos convida a vivenciar a maternidade de modo natural e instintivo, a dar ouvidos ao bicho-fêmea que somos, ao mesmo tempo que nos atenta para a enorme oportunidade de autoconhecimento que o maternar pode nos trazer.
Indico este livro para todas as mamães, pois ele lança um olhar amoroso e alternativo a assuntos importantíssimos para o mundo materno, como amamentação, parto e puerpério, sono infantil, introdução de alimentos, desfralde, o papel do pai, entre outros. (Indico-o para os papais também! Vai ajudá-los a entender melhor suas companheiras e a educar com mais consciência seus filhotes.)
Vale cada palavra!





Nas palavras de Laura Gutman:

Este livro foi escrito para mulheres. Não é um guia para mães desesperadas, mas um lugar de descanso na estrada, onde podemos pensar sobre nós mesmas enquanto mães, criando nossos filhos com nosso lado ensolarado e nosso lado sombra, emergindo e expandindo de nossos vulcões internos.
Muitos aspectos escondidos de nossa psique feminina são expostos e ativados com a chegada de nossos filhos.  Estes são momentos reveladores de experiências mística, se formos capazes de experimenta-los como tal, e se tivermos suporte para confronta-los. Esta é uma oportunidade para olhar para as idéias pré-concebidas, os preconceitos e atitudes autoritárias embutidos em nossas opiniões sobre maternidade, criação de filhos, educação, relacionamentos familiares e comunicação entre adultos e crianças.
Nessas páginas encontraremos palavras para nomear o indefinível: os estados alterados de consciência do pós-parto, os campos emocionais em que entramos com nossos bebês, a inevitável insanidade e aquele sentimento de não mais nos reconhecermos. Convido você a pisar comigo nessa estrada, com a liberdade de colher apenas o que possa lhe ajudar ou dar suporte.  Espero que este livro contribua para gerar mais questões, criar mais espaços para a sincera troca entre mulheres e facilitar encontros, comunicação e solidariedade.



Um comentário:

  1. Também recomendo!
    É livro para ter em casa e poder reler sempre...
    Aprendi muito com a leitura e me percebi mais claramente!
    Quem dera todas mães pudessem entrar em contato com esta leitura e aos poucos conseguissem se reconhecer nas atitudes de seus filhos!
    Valeu a dica, Aline!
    Beijão! =)

    ResponderExcluir